6 de março de 2014

Você está convocado! Assembleia geral vai definir os rumos da Campanha Salarial

Os trabalhadores da saúde de toda a base territorial do Sinsaúde estão convocados para a assembleia geral que definirá a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2014/2015.

A assembleia acontece no dia 28 de março, às 20 horas, simultaneamente em todas as sedes do Sindicato e os trabalhadores têm o compromisso de comparecer para que, juntos com os diretores do Sinsaúde possam definir sobre as necessidades da categoria e lutar por elas.

Após a aprovação da pauta tem início em toda base, as negociações que vão culminar na assinatura dos Acordos e Convenções Coletivas de Trabalho na data-base da categoria que é junho.

Se todos os profissionais da saúde estiverem juntos, formarão uma seleção de craques que se torna imbatível na conquista de melhores salários e condições de trabalho, que são as principais bandeiras de luta da categoria. “Queremos que os companheiros se juntem ao Sindicato para que possamos somar mais novas vitórias para o time da saúde”, convida Edison Laércio de Oliveira, presidente do Sinsaúde.

2 de outubro de 2013

Santa Casa Mogi Guaçu: ACT é fechado com reajuste de 8% e manutenção de benefícios

Aumento real de salários e manutenção dos benefícios já existentes foram o resultado da Campanha Salarial 2013/2014 na Santa Casa de Mogi Guaçu finalizada com a assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT).
A contar de 1º de junho, os trabalhadores têm garantido, além dos benefícios conquistados em acordos anteriores, um reajuste salarial de 8%, o que, levando-se em conta o índice da inflação do período junho/2012 a maio/2013, que foi de 6,95%, os profissionais da Santa Casa de Mogi Guaçu tiveram aumento real nos salários de 1,05%.
“Pode parecer pouco, mas o reajuste corrige a inflação do período e mantém o poder de compra”, observa o presidente do Sinsaúde, Edison Laércio de Oliveira. “Os resultados poderiam ser melhores se houvesse  mobilização dos trabalhadores. Entretanto, a diretoria se esforçou para garantir os benefícios já existentes e aumento real para todos”, completa.
Ele lembra que com a assinatura do ACT, os pisos salariais na Santa Casa de Mogi Guaçu serão:

Feriados
Na Santa Casa de Mogi Guaçu ainda não foram conquistadas a 3ª e 6ª folgas que compensam os feriados civis e religiosos, portanto quem trabalha em feriado tem que receber o dia em dobro, conforme as súmulas 146 e 444 do Tribunal Superior do Trabalho (TST).
“É bom lembrar que, além desses feriados, também tem o 12 de maio, Dia Estadual do Trabalhador da Saúde, que é feriado para a categoria e todos os profissionais da saúde têm direito a uma folga a mais no referido mês”, esclarece a diretora do Sinsaúde e funcionária da Santa Casa, Isilda Grassi Cola Choqueta.

Sindicalização
A força do Sinsaúde está nos trabalhadores que contribuem para que o Sindicato tenha uma boa estrutura e funcionários capacitados para atender seus associados. Portanto, ser sindicalizado é investir em seu futuro profissional e contar com uma entidade que defende você em todas nas esferas trabalhista, social e jurídica.

17 de setembro de 2013

Participação define rumos de conquistas que interessam a todos os profissionais do Hospital Walter Ferri

A    diretoria do Sinsaúde quer a presença dos profissionais que atuam no Hospital Wlater Ferrari na assembleia que será realizada no dia 19 de setembro, das 12 às 13h30, no saguão do Relógio-ponto.
Este é um encontro que interessa a todos os funcionários que têm interesse em saber como foram as negociações da Campanha Salarial 2013/2014. Como foram as negociações com o hospital, quais são os resultados efetivos? Quais os direitos que foram mantidos?
Nesta assembleia também serão debatidas com os trabalhadores as condições de trabalho específicas no Hospital Walter Ferrari. Se você acha que tem alguma contribuição para dar nesta discussão, precisa estar presente no debate.
As reivindicações específicas dos trabalhadores do hospital serão encaminhadas e negociadas pela diretoria do Sinsaúde, que sempre esteve atenta ao tratamento dado aos funcionários pela direção do hospital.
“Mas para que o Sinsaúde possa atuar de forma objetiva é preciso que os trabalhadores queiram isto. Infelizmente houve um tempo que muitos viraram às costas para o sindicato, dando ouvidos a pessoas que queriam ver o enfraquecimento e a perda de direitos da categoria”, pontua o presidente do Sinsaúde, Edison Laércio de Oliveira.
A diretora de Comunicação do Sinsaúde, Sofia Rodrigues do Nascimento lembra que isto já custou o fim de conquistas importantes garantidas pelo Sinsaúde, como a terceira e sexta folgas.
“Sempre é tempo de recomeçar e reorganizar. Temos muito a caminhar e devemos fazer isto juntos”, reforça a diretora sindical.

10 de setembro de 2013

Medical – Limeira: Participe da assembleia para avaliar a proposta do hospital

Os diretores do Sinsaúde convocam os trabalhadores do Medical Medicina Cooperativa Assistencial de Limeira para assembleia que realizará nesta quarta-feira, dia 11 de setembro, às 17 e às 19 horas, na sede do Sindicato (Rua Piauí, 957, Vila Cláudia), para decidirem sobre os novos rumos da Campanha Salarial 2013/2014.

Na ocasião, a categoria vai avaliar a proposta do hospital para a assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). Os funcionários da Santa Casa pedem, na pauta de reivindicações, no mínimo 12% de reajuste salarial, concessão da 3ª e 6ª folgas, plano de saúde gratuito para todos, sem coparticipação; fim do banco de horas, além da manutenção dos direitos conquistados em campanhas anteriores.

Participação
A diretoria do Sinsaúde reforça a importância de todos participarem da assembleia para que a decisão seja tomada em conjunto.
“Não se pode deixar que os outros decidam por você. Todos os trabalhadores devem estar presentes na assembleia e decidir se a proposta atende ou não as suas necessidades”, ressalta o diretor do Sinsaúde em Limeira, José Ricardo Doná. Esta também é a opinião da diretora sindical, Neuza Artigozo, que destaca a importância da união dos trabalhadores neste momento. “Somente desta forma será possível garantir melhores condições de trabalho”, diz ela.

Mobilização
O presidente do Sinsaúde, Edison Laércio de Oliveira, reforça as palavras dos diretores, lembrando que com a participação ativa de todos os trabalhadores, os resultados são sempre melhores. “Todos os funcionários devem se mobilizar para conquistar as melhorias que reivindicam”, diz ele, lembrando que sem união não há evolução.

10 de setembro de 2013

Santa Casa de Araras: Com mobilização, trabalhadores garantem retorno de direitos e das negociações

Depois de lutar pelo direito de receber seus salários, agora é hora dos trabalhadores da Santa Casa de Araras saberem como andam as negociações sobre as demais reivindicações debatidas na reunião com a administração do hospital no dia 5 de setembro.
Para tomar conhecimento dos fatos, os trabalhadores devem comparecer à assembleia que os diretores do Sinsaúde farão nesta quinta-feira, dia 12, às 17 horas e 18h30, na sede do Sinsaúde (Rua Santo Antonio, 113, no Belvedere). “Não deixe de participar, porque a luta ainda continua”, diz Tereza Mendes, presidente da Subsede do Sinsaúde, em Araras.
Ela lembra que para garantir respeito aos direitos, os trabalhadores paralisaram as atividades no dia 14 de agosto e só voltaram às atividades no dia 22 quando a administração da Santa Casa prometeu pagar a diferença dos salários corretamente no dia seguinte. O que foi feito.

A greve
Foram necessários nove dias de paralisação e atuação firme dos trabalhadores junto com o Sinsaúde para que a administração da Santa Casa de Araras restabelecesse o pagamento do adicional noturno com 60% por toda a jornada de trabalho como vinha sendo feito há 19 anos e que foi retirada em julho. Comprometeu-se também a não descontar os dias parados e garantia de 120 dias de estabilidade para todos os funcionários.
Para o diretor jurídico do Sinsaúde, Anselmo Bianco, a determinação dos trabalhadores em lutar pelos seus direitos é que levou à vitória. “Eles deram um exemplo de civilidade e determinação durante o movimento, lutando pacificamente e não se deixando esmorecer, enquanto não conseguissem fazer com que o hospital respeitasse seus direitos”, diz.

Audiência na PRT
Para ele, a audiência de conciliação realizada no dia 21 de agosto, na Procuradoria Regional do Trabalho (PRT), visando um acordo entre grevistas e Santa Casa foi determinante para que o hospital reconhecesse os direitos dos trabalhadores. Durante a audiência, o procurador Trabalho, Ronaldo José Lira, que mediou as negociações, propôs que o hospital restabelecesse imediatamente o adicional noturno de 60%, além do pagamento dos dias parados, implementada a jornada 12×36 e as demais reivindicações dos trabalhadores (ver quadro) e a retomada das negociações coletivas com o sindicato.

Redução de direitos
Para o presidente do Sinsaúde, Edison Laércio de Oliveira, quando o hospital reduziu o percentual e o período de horas do adicional noturno feriu não só a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) como também a cláusula 44 do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), assinado com o Sindicato. “Ambas as legislações garantem que as condições mais favoráveis aos trabalhadores têm que ser mantidas”, alerta Edison. “A administração não podia tomar esta medida, pois se esqueceu de que depois de tanto tempo, desde 1994, pagando por um benefício, não podia simplesmente alterar a forma de fazê-lo”, completa Tereza Mendes.

Mobilização
Segundo Edison, a evolução da categoria depende exclusivamente da mobilização e união dos trabalhadores. “Os direitos não vêm de mãos beijadas. É preciso luta de todos junto com o Sindicato, a única entidade capaz de conduzir os trabalhadores rumo à evolução, porque é o representante legal da categoria”,
diz ele, alertando sobre a  responsabilidade que todos têm em relação a seus salários e benefícios. “Os trabalhadores precisam se mobilizar e se sindicalizar, ficando unidos ao Sindicato na luta por melhores salários e condições de vida e de trabalho. “Não é fácil conquistar, mas para perder, basta o trabalhador não valorizar os direitos que conquistamos ao longo dos anos”, alerta o presidente do Sinsaúde.

10 de setembro de 2013

Santa Casa de Itatiba e Hospital Itatiba: ACT é fechado

Depois das negociações com a administração da Santa Casa de Itatiba e do Hospital Itatiba, foi encerrada a Campanha Salarial 2013/2014 com a assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), garantindo 9,16% de reajuste salarial, que será pago em quatro vezes; concessão da 3ª e 6ª folgas e manutenção dos benefícios já conquistados, os quais vigoram desde 1º de junho.

O acordo foi positivo, visto que o Sinsaúde batalhou para conquistar a 3ª e 6ª folgas, que é uma reivindicação antiga da categoria, mas o resultado poderia ser melhor se houvesse participação ativa dos trabalhadores. “A diretoria do Sinsaúde sempre destacou a importância de todos estarem presentes e mobilizados durante as negociações da campanha salarial para conquistarem as reivindicações pautadas. Então fica este alerta para reflexão”, destaca o presidente do Sinsaúde, Edison Laércio de Oliveira.

Agora, a mobilização dos trabalhadores é fundamental para avançar na luta por valorização, “pois ainda há muito para conquistar, como o piso nacional, implantação da NR-32, qualificação profissional, jornada 30 horas para a enfermagem, entre outros benefícios”, completa Vicentina da Silva Melo André, diretora do Sinsaúde na região, lembrando que estes itens estarão sempre em evidência e o Sinsaúde vai continuar levantando esta bandeira para a evolução da categoria.

Terceira e sexta folgas
Com a inclusão da 3ª e 6ª folgas, isto é, na jornada especial de trabalho de 12×36, os trabalhadores terão três folgas mensais e na jornada de seis horas, seis folgas mensais, todos os feriados civis e religiosos serão compensados. “A exceção é o 12 de maio, Dia Estadual do Trabalhador da Saúde, que é feriado para a categoria e todos os profissionais da saúde têm direito a uma folga a mais no referido mês ou as horas trabalhadas como extra”, explica a diretora sindical Vicentina.

NR-32
Garantir a segurança e saúde dos trabalhadores no ambiente hospitalar é imprescindível para que eles exerçam suas funções adequadamente, por isso o Sinsaúde se empenha para que a administração da Santa Casa de Itatiba e Hospital Itatiba implante a NR-32, a norma que garante saúde e segurança para o profissional, prevenindo-o de riscos físicos, químicos e biológicos.

Cesta básica
Foi em 1991 que a diretoria do Sinsaúde assumiu a batalha para garantir uma cesta básica de alimentos para a categoria. O direito foi instituído há 22 anos e desde então cumpre a finalidade de reforçar o orçamento doméstico. Por isso, todos os anos a diretoria do Sinsaúde renegocia a permanência da cesta em Convenções e Acordos Coletivos de Trabalho, sempre exigindo que contenha produtos de qualidade.

Jornada 30 horas
A redução da jornada de trabalho para 30 horas para a enfermagem é uma batalha histórica com projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados há mais de 13 anos. “Chegou a hora de dar mais um passo importante na evolução da categoria e este avanço é possível se houver união e mobilização da categoria. Participe da luta para garantir mais esta melhoria para a categoria”, alerta o presidente do Sinsaúde, Edison Laércio de Oliveira.

6 de setembro de 2013

UPA JD. Cerejeiras-Pró-Saúde de Atibaia: ACT é fechado

Depois das negociações com a Pró-Saúde, administradora da Unidade de Pronto Atendimento Jardim Cerejeiras, foi encerrada a Campanha Salarial 2013/2014 com a assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), garantindo 6,95% de reajuste salarial, concessão da 3ª e 6ª folgas e manutenção dos benefícios já conquistados, os quais vigoram desde 1º de junho.
O acordo foi positivo, visto que o Sinsaúde batalhou para conquistar a 3ª e 6ª folgas, que é uma reivindicação antiga da categoria, mas o resultado poderia ser melhor se houvesse participação ativa dos trabalhadores. “A diretoria do Sinsaúde sempre destacou a importância de todos estarem presentes e mobilizados durante as negociações da campanha salarial para conquistarem as reivindicações pautadas. Então fica este alerta para reflexão”, destaca o presidente do Sinsaúde, Edison Laércio de Oliveira.
Agora, a mobilização dos trabalhadores é fundamental para avançar na luta por valorização, “pois ainda há muito para conquistar, como o piso nacional, implantação da NR-32, qualificação profissional, jornada 30 horas para a enfermagem, entre outros benefícios”, completa Vicentina da Silva Melo André, diretora do Sinsaúde na região, lembrando que estes itens estarão sempre em evidência e o Sinsaúde vai continuar levantando esta bandeira para a evolução da categoria.

Terceira e sexta folgas
Com a inclusão da 3ª e 6ª folgas, isto é, na jornada especial de trabalho de 12×36, os trabalhadores terão três folgas mensais e na jornada de seis horas, seis folgas mensais, todos os feriados civis e religiosos serão compensados. “A exceção é o 12 de maio, Dia Estadual do Trabalhador da Saúde, que é feriado para a categoria e todos os profissionais da saúde têm direito a uma folga a mais no referido mês ou as horas trabalhadas como extra”, explica a diretora sindical Vicentina.

NR-32
Garantir a segurança e saúde dos trabalhadores no ambiente hospitalar é imprescindível para que eles exerçam suas funções adequadamente, por isso o Sinsaúde se empenha para que a administração da Santa Casa e Pró-Saúde, de Atibaia, implante a NR-32, a norma que garante saúde e segurança para o profissional, prevenindo-o de riscos físicos, químicos e biológicos.

Cesta básica
Foi em 1991 que a diretoria do Sinsaúde assumiu a batalha para garantir uma cesta básica de alimentos para a categoria.
O direito foi instituído há 22 anos e desde então cumpre a finalidade de reforçar o orçamento doméstico. Por isso, todos os anos a diretoria do Sinsaúde renegocia a permanência da cesta em Convenções e Acordos Coletivos de Trabalho, sempre exigindo que contenha produtos de qualidade.

Jornada 30 horas
A redução da jornada de trabalho para 30 horas para a enfermagem é uma batalha histórica com projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados há mais de 13 anos. “Chegou a hora de dar mais um passo importante na evolução da categoria e este avanço é possível se houver união e mobilização da categoria. Participe da luta para garantir mais esta melhoria para a categoria”, alerta o presidente do Sinsaúde, Edison Laércio de Oliveira.