História

Trabalhar sonhos e operar resultados. Desde o início, há 70 anos, este foi o lema que norteou a ação dos profissionais que assumiram o desafio de transformar a vida de milhares de trabalhadores da saúde. A fundação do Sinsaúde Campinas e Região, em 28 de outubro de 1938, foi a primeira ação transformadora para a categoria que era tratada à imagem da filantropia. Ainda que pese a relevância da responsabilidade social do trabalho filantrópico, os trabalhadores da saúde da década de 30 não eram formados por senhores e senhoras da sociedade que podiam doar seu dinheiro e tempo aos menos favorecidos. Em comum com a filantropia, os profissionais que atuavam em consultórios, clínicas, laboratórios e hospitais tinham apenas o amor ao próximo. Eram formados, em sua totalidade, por homens e mulheres que dependiam do salário para o próprio sustento e também de suas famílias.
Comandados por um grupo que contava com aproximadamente 20 pessoas, os trabalhadores viram sua entidade de classe nascer e, com muitas dificuldades, contabilizar resultados. Ao longo desses 70 anos, a história do Sinsaúde pode ser dividida em três grandes ciclos.
O primeiro ciclo foi iniciado exatamente com a fundação da entidade. Seus diretores, ligados, na época, ao Partido Comunista, sofreram reveses e a entidade chegou a ser colocada na ilegalidade.
O segundo período marcante na existência do Sinsaúde coincide com o golpe militar de 1964. Por ação do governo é determinada intervenção na entidade e indicado como interventor um trabalhador da área, Doraci Nelson Silva, para ocupar a presidência do Sindicato. Este período de turbulência política representou um recuo para a evolução dos profissionais que continuaram a receber baixos salários e eram subjugados a uma jornada diária exaustiva. Prevaleceu o sindicato assistencial, focado em oferecer aos seus associados benefícios sociais nas áreas de saúde, cultura e lazer.
A luta trabalhista ficou em segundo plano, o que resultou na desmobilização da categoria.
A grande virada, início do terceiro ciclo, acontece em 1984. Neste ano, a categoria é reorganizada com a eleição de uma nova diretoria que se apresentou com propostas novas e revolucionárias. Guiada pelo lema da valorização do profissional da saúde, a nova diretoria propunha bandeiras de luta que incluíam reconhecimento profissional por meio de salários justos e redução da jornada de trabalho. O objetivo maior e era a humanização do trabalho na saúde.
[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

GALERIA MULTIMÍDIA

VER TUDO

instagram

youtube