Sinsaúde apresenta aos trabalhadores do Ouro Verde, proposta para o plano de desligamento da Vitale

13/03/2018

Na manhã desta terça-feira, dia 13, o Sinsaúde realizou uma assembleia com os trabalhadores do Hospital Ouro Verde em Campinas, para apresentar uma proposta feita pelo sindicato, ao plano de desligamento da Vitale; apresentado no último dia 9, pela Prefeitura de Campinais ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e ao Sinsaúde. Nele o poder público informa quais medidas pretende tomar em relação aos trabalhadores no processo de transição entre a Vitale e a recém-criada Rede Mário Gatti, autarquia que fará a gestão do complexo hospitalar e outras unidades de saúde do município.

 


A prefeitura informou que o processo de demissão dos funcionários deverá ser gradativo e efetivado totalmente no período de 18 a 24 meses; tempo esse para o total desligamento da Vitale no hospital.

 


Dentro desse período, as demissões ocorreriam conforme as novas empresas forem sendo contratadas; além disso, a prefeitura afirmou que vai disponibilizar um valor mensal de R$ 1,5 milhão, para pagar as verbas rescisórias dos trabalhadores dentro do período de 18 a 24 meses. Por fim, o município não garante que os demitidos serão recontratados pelas nova empresas, apenas disse que fará o possível, para incentivar as empresas a recontratarem os demitidos.

 


“Agora que a Prefeitura informou como pretende fazer o processo de desligamento da Vitale, o Sinsaúde apresenta uma proposta nesse sentido, visando o melhor para os trabalhadores e aos usuários do hospital. Esperamos que as negociações junto à Prefeitura e ao MPT avancem no sentido de garantir o melhor aos trabalhadores”, explica a presidente do Sinsaúde, Leide Mengatti.

 


Proposta dos Sinsaúde

 


Veja quais foram as propostas feitas pelo Sinsaúde para os trabalhadores no período de desligamento da Vitale:


• Que a Prefeitura apresente os valores devidos e o gasto mensal de todas as categorias, de forma individualizada;


• Apresente os valores devidos para a quitação das verbas rescisórias, inclusive FGTS em atraso, multa de 40% e eventuais indenizações de estabilidade legais de todas as categorias de forma individualizada;


• Abertura de Programa de Demissão Voluntária e apresentação de cronograma de dispensa por setor, onde conste as datas, início e término de aviso prévio;


• O processo de desligamento dos funcionários deverá ser iniciado pelos que possuem os mais altos salários; neste processo, deverão ser observados critérios sociais para dispensa, tais como: duplo emprego, aposentados, estado civil, idade e outros;


• Fazer o pagamento imediato dos mais de 100 funcionários já demitidos que ainda não receberam suas verbas rescisórias;


• Garantia de que todos os trabalhadores que desejarem, sejam recontratados pelas novas empresas que vierem atuar no hospital; com os mesmos salários e benefícios praticados hoje;
• Garantia que o Sinsaúde represente os trabalhadores nas novas empresas;


• Treinamento para os trabalhadores desligados para futura recolocação profissional;


• Pagamento integral e dentro do prazo legal de todas as verbas rescisórias de todo os contratos de trabalho e encargos trabalhistas acessórios, inclusive FGTS em atraso, multa de 40% e eventuais indenizações de estabilidade legal;

[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

GALERIA MULTIMÍDIA

VER TUDO

instagram

youtube