Em assembleia, trabalhadores do Madre Theodora aceitam contraproposta do hospital

03/07/2018

 Nessa segunda-feira, dia 02, os trabalhadores do hospital Madre Theodora em Campinas, aceitaram a contraposta do hospital para fechar o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) deste ano.

 

Em assembleia realizada pelo Sinsaúde em dois períodos, os trabalhadores decidiram aceitar 2% de aumento salarial sobre o salário base; aumento do vale alimentação para R$ 285,60; aumento do auxílio-creche para R$228,07; nenhum reajuste no valor do plano de saúde será repassado aos trabalhadores; e a manutenção da jornada especial de trabalho sem modificações ou alterações de benefícios já existentes.

 

Os trabalhadores receberão o valor retroativo referente ao mês de junho, que será aplicado na folha de julho, que é creditado no mês de agosto. Isto é referente ao dia 1º de junho, data-base, já que nessa data ainda não havia ACT assinado entre empregador e Sinsaúde.

 

Segundo a dirigente sindical, Adriana Nascimento Botelho, que participou das negociações entre hospital e sindicato, essa nova proposta agradou os trabalhadores, diferente da primeira que foi recusada prontamente. “Os trabalhadores acharam positiva essa contraproposta e agradeceram os esforços do sindicato para assegurar a jornada especial da categoria e a manutenção de todas as cláusulas do ACT”, disse.

 

Para o diretor sindical, Marcelo Rodrigo da Silva, o acordo foi fruto de muita negociação entre o sindicato e a administração do hospital. “A primeira proposta feita pelo hospital não tinham nenhuma condição de ser aceita, por isso, tivemos que realizar assembleias informando os trabalhadores sobre a situação e nos empenhar muito nas negociações para que o hospital melhorasse a proposta. O próximo passo agora é lutar para que os trabalhadores passem a receber a PL (Participação de Lucros)”, explica.

[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

GALERIA MULTIMÍDIA

VER TUDO

instagram

youtube