Sinsaúde realiza manifestação em frente à Santa Casa de Bragança Paulista

12/09/2018

Nessa terça-feira, dia 11, o Sinsaúde realizou uma manifestação em frente à Santa Casa de Misericórdia de Bragança Paulista. O ato que contou com a presença de mais de 25 diretores sindicais, foi realizado em protesto contra a retirada de folgas dos trabalhadores, promovida pela administração do hospital e também para convocar a categoria para uma assembleia na próxima quinta-feira, dia 13, às 19h, na sede do Sinsaúde em Bragança Paulista; a fim de discutir a situação e decidir se os trabalhadores entrarão em greve no próximo dia 20.

 

No início do mês, a administração da Santa Casa reduziu as folgas da seguinte forma: quem trabalha 12x36 e tinha três folgas mensais, passou ter duas; já aqueles com jornada de 6 horas, passam de seis para cinco folgas mensais. Segundo informações de trabalhadores, o hospital também já teria sinalizado uma revisão no auxílio-creche. O Sinsaúde também recebeu muitas reclamações de trabalhadores sobre o aumento do valor do plano de saúde.  

 

Diante da situação, o Sinsaúde através da sua diretoria foi à porta do hospital protestar e cobrar que a Santa Casa volte atrás na decisão de reduzir as folgas. Um boletim foi distribuído aos trabalhadores e uma carta aberta à população; ambos explicando a situação. Se na assembleia de amanhã os trabalhadores decidirem entrar em greve no próximo dia 20, a mesma terá início às 6h00.

 

O diretor jurídico do Sinsaúde, Paulo Gonçalves, que estava na manifestação explicou a situação e mostrou-se indignado com a atitude da Santa Casa. “Não podemos aceitar uma decisão como esta, que prejudica os trabalhadores e mexe com direitos que foram conquistados a duras penas. Agora vamos junto com os trabalhadores decidir quais serão os próximos passos; acredito que se a Santa Casa não rever essa decisão a greve será inevitável. Com redução de folga, aumenta erro humano em procedimentos, principalmente o de enfermagem, pois causa stress e sobrecarga de trabalho, pois é uma questão de saúde”, explicou.

 

O diretor sindical Paulo Sérgio Pereira da Silva, que também estava no ato, também se mostrou contrariado a decisão da Santa Casa e conclamou aos trabalhadores para se unirem ao sindicato, para que haja respeito às conquistas sindicais, pela volta das folgas suprimidas e pelo fim da retirada total ou parcial de direitos.

 

“Temos que lutar sempre, não podemos aceitar decisões arbitrárias que prejudiquem os trabalhadores. Agora, além de força, precisamos demostrar união para superar esse desafio e outros que virão. Por isso, peço que os trabalhadores participem da assembleia no dia 13, para que juntos possamos lutar”, explica Paulo.

 

 

 

[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

GALERIA MULTIMÍDIA

VER TUDO

instagram

youtube