Com 1,6 mil casos, Brasil luta para evitar novo surto de sarampo

14/09/2018

São Paulo — O governo federal enfrenta um novo desafio em relação à saúde pública dos brasileiros: a ameaça de um novo surto de sarampo no país. Nesta semana, o Ministério da Saúde divulgou que já foram confirmados 1,6 mil casos da doença viral. Outros 7 mil ainda estão em investigação, segundo o órgão.

 


A infecção, causada por um vírus altamente contagioso, havia sido considerada erradicada no Brasil em 2016 pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

 


Nesta nova incidência, os estados que concentram o maior número de casos são Amazonas, com 1,3 mil pessoas infectadas, e Roraima, que registrou 301 ocorrências. Até o momento, as duas regiões foram as únicas que reportaram mortes em decorrência do sarampo, com quatro vítimas em cada estado.

 


Outras regiões também estão em alerta para o avanço da doença. São Paulo, Rondônia e Pará registraram, cada um, dois casos. Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul têm 18. Já Pernambuco notificou quatro incidências da infecção.

 


De acordo com o Ministério da Saúde, todos os casos investigados estão relacionados à importação. “O vírus D8, que está circulando no país, é o mesmo que existe na Venezuela, país que enfrenta um surto da doença desde 2017”, informou o órgão em nota.

 


Para reverter esse cenário, a instituição de saúde realiza uma intensa campanha de vacinação em todo o Brasil. Crianças entre um e cinco anos são o público-alvo da iniciativa, que termina nesta sexta-feira (14). Dados preliminares sinalizam que a meta de imunizar 95% da população está próxima de ser atingida. O Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI), alimentado pelos próprios estados, indica que a média nacional de vacinação para sarampo está em 93,20%. “Mais de 4 mil (72%) municípios do país cumpriram a meta”, diz a nota.

 

?Fonte: Exame ?

[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

GALERIA MULTIMÍDIA

VER TUDO

instagram

youtube