Limeira preenche 24 vagas para substituir médicos cubanos e espera chegada de mais 14

04/12/2018

 A Prefeitura de Limeira (SP) recebeu nesta segunda-feira (3) 24 médicos que vão substituir os profissionais cubanos a partir de terça (4). Segundo a prefeitura, a expectativa é que outros profissionais se apresentem ainda nesta semana, já que o município tem direito a 38 vagas no edital do Programa Mais Médicos, do Governo Federal. 

 

Os novos médicos se juntam a outros nove brasileiros que já atuavam pelo programa nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). De acordo com a prefeitura, o salário é de R$ 11,8 mil e pago pelo ministério. A prefeitura é responsável pelo fornecimento de auxílio-alimentação e para os médicos de outras localidades, auxílio-moradia.

 

Dentre os novos profissionais está a médica Vanila Martins Ferreira, que mudou-se de Jataí (GO). Ela é formada pelo Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos (Faciplac), em Brasília, e, segundo a prefeitura, escolheu Limeira pela proximidade a grandes centros de excelência no ensino da medicina, já que pretende prosseguir com estudos.

 

Na sexta (30), o G1 mostrou que 10 substitutos dos cubanos tinham se apresentado em Piracicaba. Sete já estavam trabalhando e outros três iriam começar nesta semana. A cidade tem direito a 22 profissionais.

 

O prazo para que todos os médicos substitutos de cubanos se apresentem nos municípios é 14 de dezembro. Tanto em Limeira quanto Piracicaba, a informação obtida pelas prefeituras é de que todas as vagas foram preenchidas pelo edital.

 

Em toda a região de Piracicaba, o edital do Mais Médicos abriu 98 vagas em 11 cidades.

 

Capital

 

Na capital paulista, 50 médicos dos 78 inscritos para participar do programa se apresentaram nesta segunda. Um deles desistiu, mas ainda não se sabe qual foi o motivo.

 

Dos 78 inscritos, 69 são brasileiros e 9 estrangeiros, que fizeram o exame Revalida. O contrato é de 36 meses renováveis. Havia 72 cubanos trabalhando na capital e a Secretaria Municipal da Saúde ampliou para 78 o número de vagas.

 

No último dia 14, o governo de Cuba informou que decidiu sair do programa social Mais Médicos, citando "referências diretas, depreciativas e ameaçadoras" feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro à presença dos médicos cubanos no Brasil.

 

O país caribenho envia profissionais para atuar no Sistema Único de Saúde desde 2013, quando o governo da então presidente Dilma Rousseff criou o programa para atender regiões carentes sem cobertura médica.

 

Fonte: G1


 

[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

GALERIA MULTIMÍDIA

VER TUDO

instagram

youtube