Sinsaúde convoca trabalhadores para assembleia nesta quinta-feira, dia 06, a fim de discutir o não pagamento do 13º salário

05/12/2018

O Hospital Metropolitano de Campinas não efetuou no último dia 30, o pagamento da primeira parcela do 13º salário. Para piorar, segundo informações obtidas pelo Sinsaúde junto aos trabalhadores, o Hospital teria avisado os funcionários que não tem dinheiro para pagar o benefício. Lembrando que a segunda parcela deverá ser paga até o dia 20 de dezembro; já a primeira parcela que está em atraso, terá que ser paga com multa.

 

Diante disso, o Sinsaúde convoca todos os trabalhadores para uma assembleia na próxima quinta-feira, dia 06, às 19h00, no 1º andar do Sinsaúde Campinas, para discutir o não pagamento do 13º salário e quais ações serão tomadas. O Sindicato já fez denúncia no Ministério Público do Trabalho contra o Hospital Metropolitano e está aguardando o órgão marcar uma data para a audiência.

 

No ano passado, o Hospital Metropolitano já teve problemas para pagar o 13º de seus funcionários. Vale ressaltar que o Sinsaúde possui uma tradição de anos, apoiada por boa parte dos trabalhadores, de que quando o empregador não paga a primeira parcela no dia 30, o Sindicato sugere que a empresa faça o pagamento integral do 13º até o dia 10 de dezembro, sem cobrança de juros e multa. Assim paga-se a primeira em atraso e antecipa-se a segunda.

 

O Sinsaúde apurou também junto aos trabalhadores, que outras irregularidades estariam ocorrendo no Metropolitano. Como atraso no pagamento das férias; problemas no atendimento médico para os trabalhadores; atestados médicos entregues pelos funcionários não estariam sendo aceitos pelo Hospital; FGTS não estaria sendo depositado integralmente; salários estariam sendo pagos em parcelas; acumulo e desvio de função. Irregularidades que também serão denunciadas pelo Sinsaúde no Ministério Público do Trabalho.

 

A vice-presidente do Sinsaúde, Sofia Rodrigues do Nascimento, falou a respeito da situação do pagamento do 13º salário no Hospital Metropolitano. “Natal é um mês de confraternização onde as pessoas que trabalharam o ano todo contam com esse dinheiro para fazer seu Natal mais feliz e quando se deparam com uma situação dessa, acabam tendo que adiar planos que muitas vezes envolvem toda a família. Por isso, não podemos aceitar essa situação, vamos levar a situação para os trabalhadores e decidir o que será feito. Até porque não é primeira vez que o Hospital não paga o 13º, isso não pode se tornar recorrente”, explica Sofia. 

 

 

O diretor jurídico do Sinsaúde, Paulo Gonçalves, explica que o Sindicato acatará todas as decisões tomadas pelos trabalhadores e que deixará a disposição os meios possíveis para auxiliar os profissionais na luta por seus direitos. “O trabalhador não pode se calar, o 13º é um direito que ele espera o ano todo para suprir seus anseios e quando chega a hora o empregador falha com sua obrigação. Imagine você estar esperando receber para pagar contas e ter um Natal e final de ano com a família e isto não ocorrer, é um absurdo”, explica. 

[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

GALERIA MULTIMÍDIA

VER TUDO

instagram

youtube