5519989916625

Hospital Estadual de Sumaré: TRT-15 dá 30 dias para HES apresentar proposta de reajuste salarial

23/07/2021

A pauta de reivindicações da Campanha Salarial deste ano foi discutida no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-15) entre o Sinsaúde e representantes da direção do Hospital Estadual de Sumaré e da Funcamp (Fundação de Desenvolvimento da Unicamp, que gerencia a unidade e os AMEs – Ambulatório Médico de Especialidades).

 

A audiência ocorreu nesta terça-feira, dia 20 de julho, e a empresa não apresentou proposta de reajuste salarial para os trabalhadores, mesmo passado meses desde o início da campanha, em março. O juiz do caso determinou prazo de 30 dias para que a Funcamp apresente a proposta.

 

“Já estamos em julho e as conversas com a Funcamp ainda não avançaram. Os trabalhadores do Hospital Estadual têm direito a valorização e melhoria das condições de trabalho. Precisamos que os administradores tenham empatia e que os trabalhadores tenham força e mantenham-se unidos neste momento para avançarmos em nossa luta”, afirma a presidente do Sinsaúde, Sofia Rodrigues do Nascimento.

 

Os trabalhadores aprovaram a pauta de reinvindicações em março, pedindo aumento real mais INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), acumulado nos últimos 12 meses em 8,90%. Também reivindica a inclusão de cesta básica com vale-gás, adicional de insalubridade de 40% para todos os trabalhadores, entre outras, além da manutenção dos benefícios do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) anterior. “Os trabalhadores precisam ser valorizados em seus salários e nas condições de trabalho, porque têm prestado um serviço de excelência. Não aceitamos nenhuma proposta que desvalorize a categoria”, afirma.

 

Histórico

Em 14 de junho, na primeira e única reunião, depois de duas desmarcadas, com a presença dos representantes do hospital e da Funcamp, não houve avanço.

 

A administração argumentou que não contava com apoio da Secretaria Estadual de Saúde para complementação de orçamento e que não esperavam um “INPC tão alto”, nas palavras da Funcamp.

 

O índice indica que a inflação corrói o salário dos trabalhadores. “Na reunião, informaram que não haviam lido a proposta ainda, depois de quase três meses em posse dela. É preciso que a Funcamp leve a reivindicação dos trabalhadores a sério e valorize o empenho e dedicação dos funcionários”, protesta a diretora Edna Battara.

 

O diretor sindical Fred de Souza, presente na reunião, disse que era necessário mais agilidade da entidade para resolver o acordo. “Os trabalhadores estão cansados da demora nas negociações com a Funcamp. A entidade foi a última a fechar acordo no ano passado”, lembra. O Sindicato aguarda atentamente a apresentação da proposta pela Funcamp, dentro do prazo estabelecido pela justiça, para dar seguimento à campanha salarial.

[ FECHAR ]
[ FECHAR ]

instagram

youtube